sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Passagem da imagem de Nossa Senhora de Nazaré

video 
Salve Nossa senhora..."O conhecimento é importante. Deus e fé são essenciais"

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Vem por Ai......Exemplo sobre JAVA FX....vocês querem??? então mandem um comentário pedindo...


A pedidos de minha amiga Pamela Gatinho...

Criando um olá mundo mais complexo

Olá galera do blog! Eu Bruno Rafael, estou aqui para mais uma postagem e tutorial com um exemplo mais complexo de nosso clássico olá mundo, visando agora, utilizar caixas de texto (OptionPane) e alguns gets e sets. Ficou complicado? Não se preocupe! Estará tudo comentado. Então Vamos lá!

Primeiramente abra o seu IDE e crie um novo projeto e uma nova classe:
Não sabe como fazer isso? veja este post que ensina como fazer: Olá Mundo Clássico.

Após isso, crie seu método principal e deixe seu projeto como na imagem:
Logo acima você pode ver o seguinte código: package olamundo;
Isso nada mais é que uma referência ao pacote no qual esta sua classe se encontra;

abaixo esta o public class Main{}
public especifica que você está declarando um método ou variável pública, o que significa que ela é visível por todos e todas as outras classes. O Main nada mais é que o nome desta classe;

Abaixo temos o método principal que permite com que a aplicação tenha um ponto de partida a seguir. É dentro deste método que iremos colocar todo o código java que desejamos que seja executado.

Insira o seguinte código:
Perceba que dentro do método principal foram inseridas duas variáveis, String nome e int idade.

String é um tipo de dados da linguagem java, sendo assim, não é um tipo primitivo da linguagem de programação. String define que aquela variável irá receber um tipo de dados texto chamada nome. Ja o int, é um tipo primitivo das linguagens de programação que recebe apenas valores numéricos inteiros. Ou seja, apenas valores do tipo: 1,2,20 etc...não podendo receber valores como: 1.2,1.5. Então foi definido que você criou uma variável do tipo inteira com o nome idade.

Até agora definimos as variáveis que serão usadas. Agora devemos definir algo que utilize estas variáveis. Usaremos para isso os OptionPanes.

OptionPanes em java são uma classe que mostra caixa de textos na tela para o usuário, saindo assim das linhas de comando do sistema. Veja o exemplo:


Este é um dos tipos de OptionPane que o java possui. Além de você poder criar seus próprios modelos.
Com este conhecimento em mãos vamos criar um OptionPane para que os dados inseridos pelo usuário, sejam inseridos em nossas variáveis nome e idade:

Vemos que foram adicionadas 2 linhas que correspondem ao nosso OptionPane. Agora vamos explicar o que acontece:

Definimos inicialmente duas variáveis: String nome e int idade. Quando criamos estas, não atribuimos valores a elas,sendo que em java o valor atribuido vem sempre após o nome da variável da seguinte forma:
variável = seuValor.
Sendo assim, a linha abaixo faz exatamente isso,atribuir às variáves seus valores. 
Há um pequeno detalhe. Os valores não são atribuidos de forma direta, ou seja ex: nome = Bruno; mas sim de forma indireta especificando que o valor do nome será aquilo que for inserido no OptionPane com o seguinte código: JOptionPane.showInputDialog("Digite sua idade");

Aqui você chama a classe JOptionPane e com o comando show diz que ele será mostrado na tela na forma de uma caixa de entrada com o comando ImputDialog mosrando o seguinte texto para o usuário "Digite Sua Idade". Os textos em java sempre são colocados entre aspas "".

Na idade acontece o mesmo, mas nosso código esta com um erro que é o seguinte:
as caixas de diálogos aceitam por padrão apenas entradas de texto (Strings), enquanto que a idade é do tipo inteiro.
Como resolver o Problema?
Simples! Sempre que você quizer fazer uma conversão de tipos como no caso, você pega uma String por padrão e a converte para inteiro. Simples não? Calma, isto é feito da seguinte forma:
 O seguinte código: Integer.parseInt() serve para converter um tipo de dados para inteiro. Dentro dos parênteses você insere o que será convertido. Em nosso caso o OptionPane.

Ja criamos as variáveis, ja atribuimos valores a elas pelo OptionPane. Agora falta mostrarmos estes resultados na tela. Para isso acrescente as seguintes linhas:
Agora vamos as considerações:
aqui você criou um OptionPane para mostrar uma Caixa de Mensagem com o texto "bem vindo senhor".Ao lado, sempre que entre um texto acrescido de uma variável, você deve colocar o operador + na frente dela, e se houver nome após, coloque um + atrás da variável.
O \n no texto é um comando para pular a linha. 
Veja como ficou:

È isso. Espero que tenham compreendido e gostado do post. Até a próxima. Abraço!

obs Aeee galera! Vamos ajudar o Blog para que não acabe! Ao visualizar os posts clique para participar da cominidade, almentando assim o número de membros ok? Pedimos essa colaboração de Vocês.
Abraço e até a próxima!
Bruno Rafael..

Skype para Android já está disponível

Os proprietários de smarpthones com Android agora podem fazer download de um app do Skype gratuitamente no Android Market. Com isso, será possível realizar chamadas de voz por meio de conexões Wi-Fi ou redes 3G. A exceção fica por conta dos EUA, onde o software de telefonia VoIP será usado apenas em hot spots Wi-Fi. 

Com o aplicativo, os usuários de smartphones Android poderão fazer chamadas gratuitas de Skype para Skype, a menos que a operadora cobre encargos adicionais pelo uso de dados. O app permitirá também que os usuários se comuniquem por meio de mensagens instantâneasm além de fazer chamadas para telefones convencionais, pagando uma taxa.

O programa funciona em smartphones rodando a versão 2.1 e 2.2 do Android e o IDG testou em aparelhos como os HTCs Desire e Legend, o Google Nexus One e os Motorolas Milestone e Milestone XT710.
O software poderá funcionar também em outros telefones com o Android, mas a Skype não garante a funcionalidade ou compatibilidade com todos os aparelhos que rodem o sistema operacional do Google. A empresa está ciente de que o aplicativo apresentou alguns problemas no Samsung Galaxy S, por exemplo, mas já adiantou que está trabalhando nas correções.

Usuários que já têm uma conta no Skype em um PC verá sua lista de contatos completa quando entrar no mesmo aplicativo a partir de um smartphone Android. O aplicativo já pode ser baixado njo Android Market, exceto na China e Japão. É possível acessar a ferramenta diretamente no Skype.com/m, a partir de um smartphone compatível com o mesma.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

JSP e Modelo MVC (Model View Control)

Por Bruno Rafael em resposta à pergunta de nosso companheiro Cláudio.


JSP é uma sigla para Java Server Pages, e é uma tecnologia desenvolvida pela Sun para permitir o uso do Java para produzir páginas dinâmicas na Web. É utilizada em conjunto com classes Java com regras específicas para atendimento a requisições dos usuários. Estas classes são os Servlets.

Revisando como funciona a Web

O cliente faz uma requisição através do navegador quando:
  • Digita um endereço na barra de endereço e envia;
  • Clica em um botão de envio de um formulário;
  • Modifica um dado em um formulário com código javascript relacionado;
Na ação do usuário esta requisição é enviada pela Internet (ou Intranet) até o servidor de Web e este faz uma série de ações:
  • Interpreta a requisição
  • Procura na pasta root o arquivo HTML pedido
  • Envia o arquivo de volta ao navegador do cliente
Por fim o navegador do cliente interpreta o código Html, css e “desenha” o resultado.

Páginas dinâmicas

Com as páginas dinâmicas a diferença está nas ações do servidor de WEB:
  • Interpreta a requisição e detectando um pedido para página dinâmica:
  • Aciona uma classe Servlet
  • A classe Servlet interpreta qual ação foi requisitada e aciona as classes adequadas
  • Após a execução das ações, é chamada a página JSP para preparar a resposta visuais à requisição. As páginas JSP possuem código para produção de uma página HTML ad-roc, isto é sob demanda.
  • O Servidor envia para o navegador cliente a página de resposta gerada
Observe que temos duas camadas de código para produção de uma página dinâmica: os Servlets e o JSP. Um modelo mais completo utiliza três camadas e é chamada MVC Model-View-Control. Vamos ver cada uma destas camadas:

Model

A camada Model (modelo) possui a representação das informações do programa. No nosso exemplo, esta camada irá implementar classes para representar as entidades envolvidas no programa. Por exemplo em um programa de frente de caixa, haveria classes para representar produtos, compras, notas fiscais, itens de notas fiscais, métodos de pagamento. Estas classes iriam também armazenar todas as ações que eventualmente o usuários necessitasse realizar sobre estas entidades. Normalmente as classes utilizam um sistema de banco de dados para fazer o armazenamento persistente. Utilizaremos a biblioteca Hibernate para facilitar a persistência dos dados. Iremos utilizar o banco de dados Mysql para os exemplos

View

A camada View (visão) é responsável por construir uma interface para interação do usuário. Ela prepara a apresentação da informação para que o usuário possa reagir as respostas e continuar utilizando o programa. Em Java utilizaremos páginas JSP com Jstl para produzir as páginas de resposta. Observe que a camada View não acessa diretamente o banco de dados, ela recebe normalmente objetos Collection geradas pelas classes da camada Model e produz código HMTL a partir deles. Percebeu porque tivemos uma longa aula sobre coleções? (revise)

Control

A camada Control (controle) é a camada que controla o processo. Cada requisição do usuário é primeiro interpretado pela camada de controle que determina qual ação deve ser executada no modelo e encaminha depois a resposta do modelo para a camada de visão. No nosso exemplo quem irá fazer toda a camada de controle será o Struts.

JavaScript

Por Bruno Rafael.
Respondendo a pergunta de meu amigo Mikael, vamos clarear o que é o javascript

JavaScript é uma linguagem de programação criada por Brendan Eich para a Netscape em 1995, que a princípio se chamava LiveScript. A Netscape, após o sucesso inicial desta linguagem, recebeu uma colaboração considerável da Sun, a qual permitiu o uso do nome JavaScript para alavancar o Livescript, porém as semelhanças entre a linguagem da Sun o Java e o Javascript são quase nulas.
A linguagem foi criada para atender, principalmente, às seguintes necessidades:
  • Validação de formulários no lado cliente (programa navegador);
  • Interação com a página.
Assim, foi feita como uma linguagem de script. JavaScript tem sintaxe semelhante à do Java, mas é totalmente diferente no conceito e no uso.
De acordo com seu sistema de tipos, o JavaScript é:
  • fraca - sua tipagem é mutável;
  • dinâmica - uma variável pode assumir vários tipos diferentes durante a execução;
  • implícita - as variáveis são declaradas sem tipo.
  1. É interpretada, ao invés de compilada;
  2. Possui ótimas ferramentas padrão para listagens (como as linguagens de script, de modo geral);
  3. Oferece bom suporte a expressões regulares (característica também comum a linguagens de script).
Sua união com o CSS é conhecida como DHTML. Usando o Javascript, é possível modificar dinamicamente os estilos dos elementos da página em HTML.
Dada sua enorme versatilidade e utilidade ao lidar com ambientes em árvore (como um documento HTML), foi criado a partir desta linguagem um padrão ECMA, o ECMA-262, também conhecido como ECMAScript. Este padrão é seguido, por exemplo, pela linguagem ActionScript da Adobe(Antigamente Macromedia, porém a empresa foi vendida à Adobe).
Além de uso em navegadores processando páginas HTML dinâmicas, o JavaScript é hoje usado também na construção do navegador Mozilla, o qual oferece para a criação de sistemas GUI todo um conjunto de ferramentas (em sua versão normal como navegador, sem a necessidade de nenhum software adicional), que incluem (e não apenas) um interpretador de Javascript, um comunicador Javascript ←> C++ e um interpretador de XUL, linguagem criada para definir a interface gráfica de aplicações.

Abraço e até a próxima!

Comparação entre CFML, JSP, PHP e ASP

Por Bruno Rafael, baseado no post de meu amigo Tofinha...


Os seguintes exemplos de códigos ilustram como criar uma página que fará consulta de dados de um funcionário no banco de dados e depois enviará, por e-mail, uma cópia do curriculum desse funcionário para o seu gerente. Com o ColdFusion, desempenhar essa tarefa exigirá cerca de 4 a 5 vezes menos linhas de código.

ColdFusion
<cfquery name="emplInfo" datasource="HRDatabase">
SELECT * FROM tblResume
WHERE EmployeeID = #URL.EmployeeID#
</cfquery>
<cfmail to="#Left(ManagerFName,1)##ManagerLastName#@company.com" from="hrmailer@company.com" subject="#EmployeeFName# #EmployeeLName# Resume" mimeattach="#ResumeLocation#">
Here is the resume of #EmployeeFName# #EmployeeLName#
</cfmail> 


JSP
<% Class.forName("sun.jdbc.odbc.JdbcOdbcDriver");
String Url = "jdbc:odbc:HRDatabase";
Connection cn = DriverManager.getConnection(url);
Statement stmt = cn.createStatement();
ResultSet rs = stmt.executeQuery("SELECT * FROM tblResume WHERE EmployeeID ="& request.getParameter("EmployeeID"));%>

<%while(rs.next())[

String from="hrmailer@company.com";
String to=Left(rs.getString("ManagerFName"),1) & rs.getString("ManagerLastName") % "@company.com";
try[
SmtpClient client = new SmtpClient("mail.xxxxx.xxx");
client.from(from);
client.to(to);
PrintStream message = client.startMessage();
message.printIn("To; " +to);
message.printIn("Subject: " & rs.getString("EmployeeFName") & " " & rs.getString("EmployeeLName") & "'s Resume");
message.printIn("Here is the Resume of" & rs.getString("EmployeeFName") & " " & rs.getString("EmployeeLName"));

client.closeServer();
]
catch (IOException e)[
System.out.printIn("ERROR SENDING EMAIL:"+e);
]
]
%>


PHP
<?php

$hostname = "local";
$username = "sa";
$password = "pass";
$dbname = "HRDatabase";
$tablename = "tblResume";

$connection = mssql_connet($hostname.$username.$password);
mssql_select_db($dbname);
$sql_query = "select * from $tablename";
$query_result = mssql_query($sql_query);

$ManagerEmail = left)mssql_result($query_result,1,3) & mssql_result($query_result,1,4) & "@company.com";

$mailheaders = "From: hrmailer@.com ";
$mailheaders = "X-Mailer:PHP ";

$subject="The Resume";

$msg_body = "Here is " & mssql_result($query_result,1,1) & " " & mssql_result($query_result,1,2) & "s resume: ";

$attach = mssql_result($query_result,1,5)
$attach_size=filesize($attach);

$file = fopen($attach, "r");
$contents = fhead($file, $attach_size);
$encoded_attach = chunk_split(base64_encode($contents)); fclose($file);

$mailheaders .= "MIME-version: 1.0 ";
$mailheaders .= "Content-type: multipart/mixed; ";
$mailheaders .= "boundary="Message-Boundary" ";
$mailheaders .= "Content-transfer-encoding: 7BIT ";
$body_top = "--Message-Boundary ";
$body_top .= "Content-type: text/plain; charset=US-ASCII ";
$body_top .= "Content-transfer-encoding: 7BIT ";
$body_top .= "Content-description: Mail message body ";
$msg_body = $body_top . $msg_body;
$msg_body .= " --Message-Boundary ";
$msg_body .= "Content-type: application/msword; name="$attach" ";
$msg_body .= "Content-Transfer-Encoding: BASE64 ";
$msg_body .= "Content-disposition: attachment;
filename="$attach" ";
$msg_body .= "$encoded_Attach ";

$msg_body .= "--Message-Boundary-- ";

mail(stripslashes($ManagerEmail),$subject, $msg_body, $mailheaders)

?>


ASP
<%@ Language=VBScript %>
<%
UserID = "sa"
Password = ""
database = "HRDatabase"
InitialCatalog = "local"

set conn = server.CreateObject("adodb.connection")
set rs = server.createobject("adodb.recordset")
Set MyCDONTSMail3 = CreateObject("CDONTS.NewMail")

conn.Open "Provider=SQLOLEDB.1;Persist Security Info=False;
Password=& Password &";
UserID=" & UserID & ";
InitialCatalog=" & InitialCatalog & ";
Data Source=" & database

SelectStatement = "SELECT * FROM tblResume WHERE EmployeeID = "
SelectStatement = SelectStatement & request("EmployeeID")

set rs = conn.execute(SelectStatement)

while not rs.eof
MyCDONTSMail3.To = Left(rs("ManagerFName"),1) &
rs("ManagerLastName") &
"@company.com"
MyCDONTSMail3.Subject = rs("EmployeeFName") & " " &
rs("EmployeeLName") &
"'s Resume"
MyCDONTSMail3.AttachFile (rs("ResumeLocation"))
MyBody2 = "Here is the resume os " & rs(EmployeeFName") & " " &
rs("EmployeeLName") & vbCrLf
MyCDONTSMail3.Body = MyBody2
MyCDONTSMail3.Send
rs.movenext
wend

set MyCDONTSMail3=nothing
set rs = nothing
set conn = nothing

%>

Quais conclusões conseguiram tirar disso? agora é com vocês! Abraço e bom desenvolvimento.

Diferença entre Java e Java Script

Por Bruno Rafael. Baseado no artigo de Miguel Angel



Queremos que fique claro que Javascript não tem nada a ver com Java, salvo em suas origens. Atualmente sãoprodutos totalmente distintos e não guardam entre si mais relação que a sintaxe idêntica e pouco mais. Algumas diferenças entre estas duas linguagens são as seguintes: 



  • Compilador. Para programar em Java necessitamos um Kit de desenvolvimento e um compilador. Entretanto, Javascript não é uma linguagem que necessite que seusprogramas se compilem, senão que estes se interpretem por parte do navegador quando este lê a página. 

  • Orientado a objetos. Java é uma linguagem deprogramação orientada a objetos. (Mais tarde veremos que quer dizer orientado a objetos, para quem ainda não sabe) Javascript não é orientado a objetos, isto quer dizer que poderemos programar sem necessidade de criar classes, tal como se realiza nas linguagens de programação estruturada como C ou Pascal. 

  • Propósito. Java é muito mais potente que Javascript, isto é devido a que Java é uma linguagem de propósito geral, com o que se podem fazer aplicações do mais variado, entretanto, com Javascript somente podemos escrever programas para que se executem em páginas web. 

  • Estruturas fortes. Java é uma linguagem de programação fortemente tipada, isto quer dizer que ao declarar uma variável teremos que indicar seu tipo e não poderá mudar de um tipo a outro automaticamente. Por sua parte, Javascript não tem esta característica, e podemos colocar em uma variável a informação que desejarmos, independentemente do tipo desta. Ademais, poderemos mudar o tipo de informação de uma variável quando quisermos. 

  • Outras características. Como vemos Java é muito mais complexo, mas também, mais potente, robusto e seguro. Tem mais funcionalidades que Javascript e as diferenças que os separam são o suficientemente importantes como para distinguí-los facilmente.

Utilizando Look and Feel

O chamado look and feel em java nada mais é que:

Look and Feel é a aparência que sua aplicação irá tomar. o Look and Feel (aparência e comportamento)define a forma como seus componentes serão desenhados na tela.

Nesse sentido vamos ao que interessa. você ja deve ter se deparado com a seguinte situação:



e com o look and feel ficaria assim:
 Bem melhor não???
Para você executar esta ação e abandonar para sempre o visual do java padrão é muito fácil! Basta você usar o look and feel.

Na prática ficaria desta forma:
-abra sua IDE;
-crie um novo projeto;
-e crie uma interface gráfica, ou seja, um jframe:

Feito isso, aparecerá algo mais ou menos assim:

Feito isso você deve possuir uma aplicação com seu modelo próprio. Afinal, a intenção deste tópico é ensinar a criar um look and feel diferente e não como montar uma interface gráfica. Este conhecimento você ja deve possuir para compreender este tópico ok?

Você ja com sua interface em mãos, deve se dirigir ao código fonte da mesma na seguinte linha do método principal:
Este é seu método principal. Quem quizer saber mais sobre ele acesse este tópico: Olá Mundo.
Aqui você percebe que ele possui um método público run() e dentro do mesmo esta a chamada para visualização na tela de seu frame: new Login().setVisible(true);
este trecho significa apenas isso:

new é um comando que instancia um novo objeto em memória. Em nosso caso o frame chamado Login(). Após isso ele diz "computador, instancie em memória este frame, e, logo após, coloque o mesmo visível na tela para que eu possa ver com o comando" setVisible(true). Mostrar na tela? Verdadeiro.

O nosso look and feel deve vir antes da chamada deste frame, ou seja, antes deste método. Para isso funcionar, você deve adicionar as seguintes linhas de código que comandam nosso look and feel:

Então vamos ao código:
UIManager é uma referência a biblioteca java que possui esta funcionalidade e métodos para mexer no look and feel da aplicação. Após acionar esta biblioteca, você deve especificar que método quer executar no look (get/set), e como queremos modificar então utilizamos o setLookAndFeel. Após isso mandamos o sistema criar um novo objeto em memória para a modificação que virá isto é executado no new. Logo após dizemos qual look and feel será carregado para execução na memória. Em nosso exemplo o AeroLookAndFeel.

Tudo isso deve ser inserido em um laço de funcionalidade chamado try{}catch. Este condicional funciona da seguinte forma:
Você possui um fluxo em que deve executar uma ação. Se este fluxo não executar aquela ação por qualquer motivo que seja ele cairá em um erro. Em outras palavras, tudo que estiver dentro do try deve ser executado. Ja se, caso ele não execute, consequentemente cai no nosso catch.

É isso ai galera. Espero que tenham gostado deste post. qualquer dúvida ou sugestões é só falar. Até a próxima.

Eclipse x NetBeans

Eclipse x NetBeans
Comparando os grandes IDEs open source
eclipse_home_header.jpg
logo-frontpage.JPG

NetBeans x Eclipse

A Evolução dos IDEs\Livres para Java

Java e Software Livre

-Aderência a padrões
-Portabilidade
-Comunidade
-“Coopetição”

IDEs Livres

● Preservação do investimento
● Independência do fornecedor
● Facilidade de expansão e customização

Histórico do NetBeans

Origens do NetBeans

Nasceu como Xelphi, um IDE RAD visual estilo Delphi para Java, inovação: o IDE era ele mesmo escrito em Java, sua versão freeware era aplicada, fornecedor encampado pela Sun, da mesma forma que o StarOffice e Netscape, e transformado em software livre. Base da segunda geração de IDEs Java da Sun, o Fortè, que sibstituiu o JavaWorkshop

Xelphi Se Torna NetBeans

Promoção do modelo de componentes JavaBeans. Passa a atrair desenvolvedores iniciantes e pequenos ISVs. Framework genérico para aplicações GUI Java. Usa uma Expansão para J2EE (Web) e J2ME (JWSTK). O Fortè é renomeado Java One Studio. apresenta dificuldades de expansão devido à “lentidão” (Swing). E possui pouca confiança da comunidade e empresas na Sun.

Histórico do Eclipse

Origens do Eclipse

A linha Visual Age de IDEs da IBM estava precisando de um reposicionamento comercial e uma refatoração da sua arquitetura. Esta refatoração deu origem ao Eclipse como software livre e sua arquitetura de plug-ins. O Eclipse se tornou a base da nova linha de IDEs da IBM, o WebSphere Studio. Também é a base da nova linha de ferramentas da Rational (XDE), encampada pela IBM
Mais que um IDE Java
Infra-estrutura para o desenvolvimento de ferramentas de desenvolvimento para qualquer plataforma e linguagem. Java é apenas a “linguagem de sistema” do Eclipse, assim como C é a “linguagens de sistema” do VB. Em vez do Swing, é utilizada a biblioteca SWT para componentes visuais. Foco no apoio à codificação (automação, refatoração, extreme programming) em vez da construção visual.
Independência da IBM
A Eclipse Foundation se tornou este ano uma entidade jurídica independente da IBM, e seu conselho diretor hoje é presidida por um executivo da Oracle. Este fato estimulou outras grandes empresas como a
SAP a se tornarem parte da fundação. Amplo mercado de plug-ins de terceiros, como oSOFIA, Genuitec (MyEclipse), TruStudio (Python), W4T, etc
NetBeans 3.6 e 4.0
logo-frontpage.gif
NetBeans 3.6
  • Novo sistema de janelas, substituindo o obsoleto MDI das versões anteriores
  • Suporte inicial ao Ant e JUnit
  • JSP 2.0 (Tomcat 5.0)
  • Melhorias da performance de carga e da interface com o usuário
  • Desenvolvimento paralelo do Java Studio Creator (Projet Rave)
NetBeans 4.0
  • Novo modelo de projetos, baseado no Ant
  • Suporte inicial à refatoração
  • Nova arquitetura de módulos (plug-ins), baseada em descritores XML em vez de APIs e Interfaces Java
  • A nova arquitetura deverá reduzir a necessidade de atualizar os módulos a cada novo release do IDE
Eclipse 3.0
  • Melhorias cosméticas no SWT e JFace
  • Integração ao Mozilla
  • Carga dinâmica de plug-ins
  • O grosso dos novos recursos estão em projetos paralelos, como o EMF, GEF e XSD
  • RCP (Rich Client Plataform): Generalização do framework do IDE para aplicações genéricas, como o Lotus Workplace
  • Compatibilidade limitada com os plug-ins da versão 2.1.x

Estrutura de Projetos

Projetos no NetBeans

  • Montagem de filesystems (diretórios, pacotes ou SCCS)
  • Não há flexibilidade em separar fontes de binários
  • Estruturas customizadas para Web Modules
  • Novos artefatos exigem um módulo que lhes dê suporte

Projetos no Eclipse

Diretório raiz, pastas e arquivos. Configurações em arquivos de propriedades ou documentos XML. Flexibilidade na estrutura de diretórios e invocação de ferramentas externas ao IDE. A forma preferida de acrescentar recursos de construção é via scripts Ant.

Breve Comparação

Features

* NetBeans
Swing
Web
XML
Depuração JSP
Acesso BD
JUnit
Ant
* Eclipse JDT
Refatoração
JUnit
Ant

Módulos / Plug-ins

* NetBeans

Refator-IT
JWTK
Ambit/J Bean Generator

* Eclipse

AspectJ
VEP (Swing e SWT)
Lomboz (J2EE)
X-Men
SQLBrowser (JDBC)
Sysdeo, WebApp (JSP)
EclipseME
MyEclipse (J2EE)

Conclusão:

Com o conjunto adequado de extensões (livres e/ou proprietárias), ambos os IDEs se tornam equivalentes em recursos. O Eclipse hoje parece ter melhor suporte da indústria e estar no “estado da arte”. O NetBeans é mais maduro no dia-a-dia do desenvolvedor Java, se o foco não é J2EE com EJB ou frameworks como Struts e Hibernate.

Refências Bibliográficas:

Criador da Linguagem Java deixa Oracle

BOSTON  - James Gosling, criador da linguagem de programação Java e um dos funcionários mais importantes da Sun Microsystems, recentemente adquirida pela Oracle, deixou a companhia.
Gosling, que anunciou a saída em seu blog pessoal na sexta-feira, não quis dar detalhes sobre o motivo de sua decisão.

"Sobre por que eu saí, é difícil responder: Praticamente tudo o que eu dissesse que fosse preciso e honesto prejudicaria mais que ajudaria", disse Gosling.
Ainda não está claro se sua saída terá algum impacto sobre os planos da Oracle de desenvolvimento do Java, uma das linguagens de computação mais usadas em todo o mundo.
O presidente-executivo da Oracle, Larry Ellison, já afirmou que pretende aumentar o investimento na linguagem, considerada o ativo em software mais importante que sua empresa jamais adquiriu. A porta-voz da Oracle, Karem Tillman, não quis comentar a renúncia.
Gosling é um dos funcionários mais famosos da Sun a deixar a Oracle desde que a terceira maior fabricante de softwares do mundo completou a aquisição de 7,5 bilhões de dólares da Sun Microsystems em janeiro. Seu cargo era de vice-presidente de tecnologia do grupo de cliente software da Oracle.
O presidente-executivo da Sun, Jonathan Schwartz, e seu presidente de conselho, Scott McNealy, também deixaram a empresa.

Melhorias No google Android

Melhorias de Interface na nova versão do Google Android
O Google Android é a plataforma para desenvolvimento de dispositivos móveis da Google que, recentemente, recebeu algumas melhorias de interface, incluindo novos codecs como OGG, Vorbis, MIDI e XMF. Além disso, houve aprimoramento nas animações do layout, Geo-coding, permitindo forward e reverse geo code (que seria a tradução de uma coordenada em endereço e vice-versa). A versão m5-rc14 pode ser baixada em http://code.google.com/android/download.html. Também foi atualizado o plugin do Eclipse para o desenvolvimento nesta plataforma. 

Olá mundo Clássico. Com suas devidas explicações

Olá galera do JaTava na mente!
vamos aqui explicar o famoso exemplo do olá mundo linha por linha para vocês.

Primeiramente abra seu IDE netbeans ou eclípse:

lá crie um projeto e uma classe com um nome qualquer.No meu caso usarei o netbeans 6.5.1.

Ao criar sua classe principal, você deverá criar as seguites linhas de códio:
public class Main {

       public static void main(String[] args) {
           }

}
Agora, vou explicar a vocês oque cada linha de código significa:
-o public, nada mais é que uma declaração em java que especifica que aquela classe ou método são visíveis a todos, afinal, uma coisa pública é de todos..
-class especifica que você esta declarando uma nova classe seguida de seu nome, que no caso no exemplo se chama Main 

Sempre que você cria uma classe, esta deve finalizar com {}abrindo e fechando. Isso sinifica que os métos, variáveis, objetos, tudo que estiver entre estas duas chaves pertencerá a esta classe.

A próxima linha mostra o seguinte código:
  public static void main(String[] args) {
           }
o public ja foi explicado anteriormente, ja o static define que aquele atributo vai ser imutável,enquanto o void referencia-se a um método principal chamado main passado dentro um vetor de String, que nada mais é um tipo de dados do java que aceita todo tipo de texto .

obs:esta linha acima que acabou de ser explicada é de extrema importância para uma classe, pelo simples fato de ser este método que permite que sua aplicação seja executada.Sem ele, você executária o projeto e não aconteceria nada :D.
Nesta figura foi inseria apenas uma linha de código. Percebam que este código foi inserido dentro das chaves e dentro das chaves do método principal que executa sua aplicação.Agora vou explicar a linha de codigo:

System.out.print("Olá mundo!Olá JaTava na Mente!");

System é um comando que executa alguma ação no sistema.Neste caso, esta linha mostra uma saída de tela com a frase que esta em laranja.

o comando out diz que o sistema vai mostrar uma saída, e o print vai impir ela na tela.
Execute o programa e verá o seguinte resultado:
é isso! até a próxima galera. Qualquer dúvida podem postar que respondo concertesa!Abraço

Java (linguagem de programação) História

Em 1991, na Sun Microsystems, foi iniciado o Green Project, o berço do Java, uma linguagem de programação orientada a objetos. Os mentores do projeto eram Patrick Naughton, Mike Sheridan, e James Gosling. O objetivo do projeto não era a criação de uma nova linguagem de programação, mas antecipar e planejar a “próxima onda” do mundo digital. Eles acreditavam que, em algum tempo, haveria uma convergência dos computadores com os equipamentos e eletrodomésticos comumente usados pelas pessoas no seu dia-a-dia.
Para provar a viabilidade desta idéia, 13 pessoas trabalharam arduamente durante 18 meses. No verão de 1992 eles emergiram de um escritório de Sand Hill Road no Menlo Park com uma demonstração funcional da idéia inicial. O protótipo se chamava *7 (leia-se “StarSeven”), um controle remoto com uma interface gráfica touchscreen. Para o *7, foi criado um mascote, hoje amplamente conhecido no mundo Java, o Duke. O trabalho do Duke no *7 era ser um guia virtual ajudando e ensinando o usuário a utilizar o equipamento. O *7 tinha a habilidade de controlar diversos dispositivos e aplicações. James Gosling especificou uma nova linguagem de programação para o *7. Gosling decidiu batizá-la de “Oak”, que quer dizer carvalho, uma árvore que ele podia observar quando olhava pela sua janela.
O próximo passo era encontrar um mercado para o *7. A equipe achava que uma boa idéia seria controlar televisões e vídeo por demanda com o equipamento. Eles construíram um demo chamado MovieWood, mas infelizmente era muito cedo para que o vídeo por demanda bem como as empresas de TV a cabo pudessem viabilizar o negócio. A idéia que o *7 tentava vender, hoje já é realidade em programas interativos e também na televisão digital. Permitir ao telespectador interagir com a emissora e com a programação em uma grande rede de cabos, era algo muito visionário e estava muito longe do que as empresas de TV a cabo tinham capacidade de entender e comprar. A idéia certa, na época errada.
Entretanto, o estouro da Internet aconteceu e rapidamente uma grande rede interativa estava se estabelecendo. Era este tipo de rede interativa que a equipe do *7 estava tentando vender para as empresas de TV a cabo. E, da noite para o dia, não era mais necessário construir a infra-estrutura para a rede, ela simplesmente estava lá. Gosling foi incumbido de adaptar o Oak para a Internet e em janeiro 1995 foi lançada uma nova versão do Oak que foi rebatizada para Java. A tecnologia Java tinha sido projetada para se mover por meio das redes de dispositivos heterogêneos, redes como a Internet. Agora aplicações poderiam ser executadas dentro dos browsers nos Applets Java e tudo seria disponibilizado pela Internet instantaneamente. Foi o estático HTML dos browsers que promoveu a rápida disseminação da dinâmica tecnologia Java. A velocidade dos acontecimentos seguintes foi assustadora, o número de usuários cresceu rapidamente, grandes fornecedores de tecnologia, como a IBM anunciaram suporte para a tecnologia Java.
Desde seu lançamento, em maio de 1995, a plataforma Java foi adotada mais rapidamente do que qualquer outra linguagem de programação na história da computação. Em 2004 Java atingiu a marca de 3 milhões de desenvolvedores em todo mundo[1]. Java continuou crescendo e hoje é uma referência no mercado de desenvolvimento de software. Java tornou-se popular pelo seu uso na Internet e hoje possui seu ambiente de execução presente em web browsers, mainframes, SOs, celulares, palmtops, cartões inteligentes etc.

Admin: Bruno

Olá Galera! muito grato por estarem acessando nosso blog. Espero que seja possível transmitir de forma compreensível um pouco de meus conhecimentos em programação, para esta comunidade de desenvolvedores que cresce cada vez mais! Espero que Gostem! Abraço! E meu enorme obrigado à Renato Simões, Átila Soares,Wanderson Quinto, Emerson e a toda galera que sempre ajudou meu sincero obrigado....
Especialmente a Natalia Failache e Rita de Cassia que sempre apoiaram este sonho....

De seu amigo Bruno Rafael.